Jovem que teria sido agredido por PM em João Lisboa precisa de cirurgia no olho


Abraão Oliveira da Rocha foi agredido com socos e chegou a ficar desacordado. Os vizinhos do jovem estão revoltados com o caso e relatam que muita gente já foi vítima de agressões verbais e ataques por parte do sargento da PM. Polícia continua investigando caso de jovem que teria sido agredido por PM
A Polícia Civil continua investigando a agressão que teria sido praticada por um policial militar, na cidade de João Lisboa, contra um jovem, por causa do barulho de uma buzina.
Na última quarta-feira (16), Abraão Oliveira da Rocha foi agredido com socos e chegou a ficar desacordado. Por causa das agressões, o jovem precisa fazer uma cirurgia nos olhos, porque os socos provocaram o descolamento da retina.
Jovem que teria sido agredido por PM em João Lisboa precisa de cirurgia no olho.
Reprodução/TV Mirante.
A advogada de Abraão Oliveira diz que o cliente precisa fazer uma cirurgia com urgência, porque a pancada na cabeça provocou o descolamento da retina, além disso, o jovem está com problemas na memória.
“Às vezes ele fica bem, às vezes ele esquece das coisas que aconteceram, pergunta quem é ele. E em relação ao olho, ele vai ter que fazer uma cirurgia avaliada em R$ 13 mil. Ele tem uma espécie de buraco no olho, um descolamento de retina, algo assim, e estamos fazendo o possível pra que ele possa fazer a cirurgia mais breve, de acordo com o que o oftalmologista receitou”, relatou Jéssica Cardoso, que é advogada da vítima.
Os vizinhos de Abraão estão revoltados com o caso. A maioria afirma ter visto o que aconteceu, quando o jovem chegou em casa e buzinou para a esposa sair.
Na casa ao lado da de Abraão, mora o sargento da Polícia Militar Gilmar Brito, que ouviu a buzina e saiu da casa irritado e começou a agredir a vítima.
Segundo Ítalo, algo parecido aconteceu ele há a cerca de um mês, quando parou na casa em frente. Ítalo registrou uma ocorrência contra o PM porque foi agredido verbalmente.
“Alguns dias atrás eu vim aqui na casa do meu amigo pra assistir a um jogo, e cheguei no meu carro e dei uma buzinada bem de leve, para ele sair de casa. Esse cidadão já saiu com muita agressividade, já me xingando, falando que eu estava errado, que a lei diz que não pode buzinar. E daí começou uma discussão. Ele não partiu pra agressão física, porque ele percebeu que eu também sou policial. Por conta disso, ele não fez o mesmo que ele fez com Abraão”, relatou Ítalo.
Ele afirma, ainda, que muita gente evita passar pela rua, por medo do PM.
“Aqui na rua ele já aterrorizou vários vizinhos. É tanto que, alguns entregadores de pizza, de açaí, não passam mais pela rua por conta dessa situação”, destacou Ítalo.
Um vizinho que mora em frente à casa do sargento afirma que, recentemente, o PM teria quebrado o vidro do carro de uma mulher, que estava com uma criança, porque ela buzinou na porta da residência para abrirem o portão.
“Aqui já aconteceu diversas vezes. Aqui na minha casa, que sou vizinho de frente dele, da vizinha ao lado e de várias outras pessoas da rua. Ele já jogou pedra em carro de vizinho aqui, já ameaçou outros vizinhos aqui por conta disso. Visitantes daqui também e várias pessoas já sofreram com isso”, relatou o morador.
Segundo os moradores, os casos são frequentes. Há agressões verbais e ataques a carros e motos que passam pela rua e que, por algum motivo, buzinam.
Há cerca de 30 dias, uma ocorrência foi registrada na Polícia Civil e no 14º BPM, onde o sargento é lotado, por causa das agressões cometidas pelo PM.
Alguns moradores da rua afirmam que já querem vender suas casas por causa a situação.
O 14º BPM, onde o sargento é lotado, emitiu uma nota à imprensa informando que abriu sindicância interna para apurar o caso, mas o comando da unidade não quis dar entrevista sobre o assunto.