10 anos de Scorpions em São Luís: Fãs contam bastidores, memórias e curiosidades do show


O G1 Maranhão apresenta detalhes de um dos maiores shows internacionais ocorridos na história do estado. Klaus Meine em show do Scorpions em São Luís
Petrus Cintra/Kamaleão
Neste dia 24 de setembro se completam 10 anos de um dos maiores shows internacionais que o Maranhão já viu: Scorpions no Centro Histórico de São Luís.
Rodeado de expectativas e surpresas, aquele show ficou marcado por colocar a capital maranhense em evidência na cena do rock, na frente de várias cidades brasileiras que desejavam receber a então turnê de despedida da banda.
Klaus Meine, vocalista do Scorpions, concedeu uma entrevista exclusiva ao G1 Maranhão sobre aquele épico show e enviou um recado a São Luís.
G1 MA ENTREVISTA KLAUS MEINE: vocalista relembra o show em São Luís e fala sobre os próximos projetos do Scorpions
Rudolf, James, Matthias e Pawel no histórico show do Scorpions no Centro Histórico de São Luís
Kamaleão e Paulo Jr
Na época [2010], o então empresário da banda, Paulo Baron, explicou o motivo pelo qual São Luís foi escolhida: Para os Scorpions, a cidade é “interessante e histórica”.
Dias antes do show, além de Paulo Baron, a banda concedeu uma coletiva com a presença do elenco completo: Klaus (vocalista), Rudolf Schenker (guitarrista), Matthias Jabs (guitarrista), Pawel Maciwoda (baixista) e James Kottak (baterista).
Coletiva do Scorpions antes do show em São Luís. Da esquerda para direita: Pawel, Rudolf, Klaus, Matthias e James
Paulo Jr
A jornalista Poliana Ribeiro estava nessa coletiva. Ela fala com entusiasmo da experiência de ver os artistas de perto e ainda acompanhar o show.
“Só acreditei mesmo que ia ter o show quando vi o Klaus e o resto da banda entrando na sala para dar a entrevista. Foi surreal. No show, foi realmente uma experiência indescritível. Já fui em outros shows internacionais (como Foo Fighters, claro, Bon Jovi, Madonna), mas foi muito surreal ver um show internacional, de uma das bandas de rock mais famosas do mundo, aqui em São Luís. Nunca vou esquecer daquele dia”, conta a jornalista.
Poliana Ribeiro, jornalista, em foto no dia do show dos Scorpions no Centro Histórico
Arquivo pessoal
Outra curiosidade foi que parte da banda saiu para ver a cidade e até outras regiões do Maranhão. Rudolf, por exemplo, revelou ter sobrevoado de helicóptero e conhecido praias de São Luís, além dos Lençóis Maranhenses.
“Tinha uma área, na costa leste [Brasil] onde tocamos. É uma área de frente para a praia, com areia branca e lagos vívidos. É onde ganhamos a nossa própria cerveja e nosso próprio selo. Foi inacreditável”, afirmou o guitarrista ao fã-site ScorpionsBrazil.
O selo postal foi uma homenagem à banda feita pelos Correios em São Luís. Roberta Foster estava na capital maranhense e lembra bem o que isso representou aos integrantes do Scorpions, além da estadia no Maranhão.
“Ficaram muito lisonjeados com os selos. Eles mencionam muito a viagem que fizeram aos Lençóis Maranhenses, especialmente o Rudolf. Eles se sentiram bem honrados”, afirma Roberta, que coordena um dos maiores fã-clubes do Scorpions no Brasil.
Roberta esteve com a banda e segura o selo recebido pelos Scorpions em um hotel de São Luís
Arquivo Pessoal
Roberta descreve ainda uma de suas melhores memórias com a banda em São Luís, que envolve a história de um fã buscando um encontro com o Klaus, em um hotel onde a banda estava hospedada.
“Nesse dia, no hotel, eu estava sentada com eles e o Klaus estava comendo. Aí chegou um fã pedindo um autógrafo e um dos caras da produção foi super grosso e falou: ‘Você não sabe? O cara está jantando!’. Aí o Klaus ficou olhando com uma cara de quem não estava entendendo nada e me perguntou o que o fã queria. Eu falei que era uma foto e um autógrafo. Aí o Klaus deixou o garfo e a faca, levantou e foi até o cara. Aí o produtor falou: ‘Voce tem sorte que o cara é gente boa’”, conta Roberta.
Outras memórias do show
Lucas é advogado, músico e esteve no show do Scorpions, no Centro Histórico de São Luís
Arquivo pessoal
Lucas Belchior é músico, advogado e fã dos Scorpions há mais de 10 anos. Ele recorda vários momentos da banda em São Luís e guarda até hoje a camisa que comprou para ver o show.
“Esse foi meu 2º show do Scorpions, já tinha ido em Recife em 2008. O que eu mais gostei acho que foi do repertório. Tocaram muita música legal: Bad Boys Running Wild, Loving You Sunday Morning. Em Big City Nights ficou aparecendo no telão o nome de várias cidades grandes e o nome de São Luís no meio. Achei massa”, conta Lucas.
Lucas ainda guarda a camisa do show do Scorpions em São Luís
Arquivo pessoal
Lucas tem ainda recordações engraçadas daquele show, que ele diz ter sido muito especial por acontecer tão perto e num lugar tão familiar como o Centro Histórico de São Luís.
“Lembro de ter visto as limusines com adesivo da banda ali pelo Calhau. Na entrada da banda, soltaram foguetes no meio de uma música e também tinha um grandalhão perto de mim que não parava de chorar”, brinca o fã.
Débora hoje é médica. Há 10 anos, esteve no show do Scorpions em São Luís e guarda boas recordações
Arquivo pessoal
Já a médica Débora Lemos tinha 21 anos quando viu os Scorpions de perto, pela primeira vez. Uma paixão antiga.
“Eu já conhecia a banda. Escutava bastante o album acústico deles. O que lembro é eles escolheram as músicas mais agitadas deles para tocar, teve bastante solos e distribuíram muitas palhetas no final do show”, lembrou.
Naquele ano, a banda estaria se despedindo dos palcos, mas a decisão acabou não vingando e os Scorpions continuam tocando ao redor do mundo. Daquela formação de 2010, apenas o baterista James Kottak saiu para a entrada de Mikkey Dee (ex-Motorhead).
Atual formação da banda Scorpions. Na ponta esquerda, o atual baterista, Mikkey Dee
Divulgação
No ano passado, o Scorpions foi eleito como o melhor show do Rock in Rio e, atualmente, a banda prepara um novo álbum, que deve ser lançado em 2021.